terça-feira, 18 de agosto de 2015

Kronos

A vida
Vergou-o
Ao peso
Das manhãs

E das tardes
Acopladas
Ao Sol.
O cajado
Ampara
O peso
Do fado
De outra hora
Segue
Curvado
Ao peso
De ontem
Espera
Ao sol
Pela noite
Que o abrace
Para
Sempre.
Beringel, 25.01.2015

Sem comentários:

Enviar um comentário